Cada vez pior:Atlético é derrotado pela Ponte Preta.


O JOGO:


O Furacão começou com mais ação, mas foi também quem passou por um susto primeiro, aos quatro minutos, com Weverton recebendo recuo e, na tentativa de afastar, quase perdendo para Maranhão, que chegou para pressionar. Na resposta, aos cinco minutos, Matheus Rosseto cobrou falta e o estreante Ribamar subiu para testar pela linha de fundo. Mais bola cruzada na área campineira e desta vez Pablo cabeceou por cima da meta.
A nova referência atleticana, Ribamar estava querendo jogo e, aos 13 minutos, novamente subiu mais do que a defesa para aproveitar cobrança de falta de Nikão e desviar de cabeça à direita da meta. A Ponte chegou com seu primeiro chute de longe aos 17 minutos, com Lucca, para fora. O Rubro-Negro pressionava, mas a bola não entrava. Aos 20 minutos, Nikão quase surpreendeu, tocando por cobertura e Aranha fez grande defesa.
O Atlético se esforçava, mas mostrava nervosismo por conta das oportunidades desperdiçadas, como aos 26 minutos, com Ribamar recebendo de frente para o gol e esperando demais para finalizar, facilitando a reação da defesa alvinegra. Aos 34 minutos, cobrança de escanteio, Thiago Heleno ajeitou e Paulo André chutou em cima de Aranha. Lucca tentou resolver sozinho, aos 41 minutos, levando toda defesa atleticana, mas perdendo o pique perto da área.
Para a etapa final, o Furacão voltou com Matheus Anjos no lugar de Douglas Coutinho. Na Ponte, a novidade foi Renato Cajá na vaga de Claudinho. Aos cinco minutos, Sidcley partiu em velocidade, tentou o lançamento, mas mandou nas mãos de Aranha. A Ponte reagiu e, aos seis minutos, em contra-ataque, Lucca ganhou da zaga e tocou na saída de Weverton para abrir a contagem.
Pressionado pela torcida, o Atlético foi para cima. Mas quem apareceu com destaque foi o goleiro Aranha que, aos 10 minutos, parou dois chutes, primeiro de Pablo e, após a sobra de bola, de Matheus Anjos. As vaias do torcedor deixavam o time da casa ainda mais instável em campo. Aos 18 minutos, Pablo passou por dois jogadores e chutou pela linha de fundo. Em seu segundo jogo pelo clube, Fabiano Soares já era chamado de ‘burro’ pelo torcedor.
A grande atuação de Aranha piorava ainda mais a situação do Furacão, que aos 23 minutos chegou com Eduardo da Silva, que parou no goleiro. Aos 32 minutos, Eduardo Henrique invadiu a área, foi travado e ficou pedindo penalidade, sem ser atendido. Eduardo tabelou com Gedoz, aos 37 minutos, e bateu forte para grande intervenção de Aranha. Só dava Furacão, mas nada de bola na rede. Aos 42 minutos, Gedoz chutou da intermediária e a bola passou com perigo. . Nos acréscimos, Eduardo da Silva derrubou Jadson ainda área e o árbitro marcou o pênalti. Na cobrança, Lucca fechou a contagem. Segue o jejum rubro-negro na competição
Ficha Técnica:
ATLÉTICO-PR 0 X 2 PONTE PRETA
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 23 de julho de 2017, domingo
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Assistentes: Oberto da Silva Santos (PB) e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (PB)
Cartões amarelos : Eduardo Henrique, Thaigo Heleno (Atlético-PR); Léo Artur, Aranha (Ponte Preta)
Gols
PONTE PRETA: Lucca, aos 06 minutos e aos 49 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Weverton; Cascardo, Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Eduardo Henrique, Rosseto e Douglas Coutinho (Matheus Anjos); Nikão (Felipe Gedoz), Pablo (Eduardo da Silva) e Ribamar
Técnico: Fabiano Soares
PONTE PRETA: Aranha, Jefferson, Marllon, Rodrigo, Danilo; Maranhão (Kadu), Elton, Léo Artur (Jadson) e Naldo; Lucca e Claudinho (Renato Cajá)
Técnico: : Gilson Kleina
Veja os gols do jogo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário