domingo, 28 de julho de 2019

Furacão derrota o Cruzeiro e vence a segunda fora de casa


O furacão foi ate Belo Horizonte e aproveitou para conquistar sua segunda vitória como visitante no Brasileirão,o rubro negro derrotou o Cruzeiro por dois a zero com gols de  Jonathan e Bruno Guimarães e conquistou mais três pontos na competição.

O JOGO:

O Cruzeiro entrou em campo com sua equipe reserva. Na terça-feira, a Raposa tem um confronto complicado com o River Plate, no Mineirão, pela Copa Libertadores. Diante disso, o técnico Mano Menezes decidiu colocar sua equipe alternativa no gramado.
A Raposa iniciou a partida com um jogo mais defensivo. Incrivelmente jogando em casa, era esperado, até pela situação na tabela do Brasileirão, buscar o ataque. Todavia, fora alguns minutos jogando no 4-5-1, com Fred ficando completamente isolado na frente.
Este posicionamento, porém, não durou muito tempo. A Raposa não conseguia propor o jogo e via o Athetico fazer seu jogo costumeiro. Após entender que naquela maneira não surtiria efeitos, o técnico Mano Menezes mandou alterar o posicionamento, alterando para o 4-2-3-1 e 4-4-2, destas formas com Jadons pela direita, Maurício centralizado e David da esquerda. Basicamente o mesmo estilo que o time titular (Robinho na direita, Thiago Neves centralizado e Marquinhos Gabriel na esquerda). Os celestes saíram para o jogo somente após os 15 minutos, de maneira estranha, porém.
Mesmo assim o Cruzeiro não conseguia ser agressivo. O time celeste não conseguia propor o jogo, atacar. Por outro lado, o Athletico seguia fazendo sua partida e criava assim oportunidades. Aos 13, em chute da entrada da área, Nikão levou muito perigo para a meta do goleiro Rafael. Antes disso, o time paranaense já tinha chegado contra o gol cruzeirense, de maneira menos perigosa.
Aos 28, um lance importante na partida. Nikão pegou a bola na área e partiu para cima do jovem lateral Weverton. O garoto deu carrinho dentro da área e pegou o pé de apoio do atheticano. O árbitro marcou pênalti sem precisar consultar ajuda. Na cobrança, o ex-cruzeirense, Jonathan foi para a bola e tirou o goleiro Rafael do lance.
Mesmo após o tento, o Cruzeiro seguiu com grande dificuldade para sair jogando. Além disso, o Furacão seguia mais forte e pressionava a saída de bola da Raposa.
A situação do Cruzeiro é percebida por alguns números. As dificuldades para avançar nas linhas leva a equipe para a lateral, com isso é possível explicar o maior número de bolas levantadas na área, 11 a 8 para a Raposa. Todavia, o Athletico finalizou mais, seis contra um, e duas chances claras do Furacão. No fim das contas, o time paranaense tem 68% de posse enquanto os celestes apenas 32%.
A Raposa voltou melhor para a etapa complementar. O time de Mano Menezes conseguia atacar, algo que foi muito difícil na etapa inicial. Vale ressaltar, no entanto, que o problema então era o pode de decisão.
David, por exemplo, teve uma boa oportunidade nos minutos iniciais, mas falhou e irritou bastante o torcedor cruzeirense que vaiou o jogador. Minutos depois foi à vez de Fred receber a bola e adiantar demais à redonda. A torcida azul começou a gritar o nome de Sassá.
O time celeste ficou na base do abafa, lutando por algo, tentado surpreender, mas não conseguia. O time era pouco eficaz em campo, tentava, mas não tinha forças para conseguir.
Aos 27, o Cruzeiro chegou ao ataque, mas não conseguiu sequência da jogada. Os atletas da Raposa solicitaram que o juiz olhasse o VAR reclamando um toque na mão do lateral Jonathan. O árbitro, no entanto, mandou seguir.
Minutos depois o Athletico ampliou. Em uma tabela entre Brunos, o Nazário mandou para o Guimarães que depois deixou para Marcelo Cirino e depois Bruno Guimarães recebeu a bola novamente e chutou no canto do goleiro Rafael.
FICHA TÉCNICA 
CRUZEIRO 0 X 2 ATHLETICO
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 27 de julho de 2019 (Sábado)
Horário: 19h(de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Carvalhães de Miranda (RJ)
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)
Gols: Jonathan, aos 28 do primeiro tempo, Bruno Guimarães, aos 31 do segundo tempo (Athletico)
Cartões: Fred (Cruzeiro)

CRUZEIRO – Rafael, Weverton, Fabrício Bruno, Cacá, Dodô, Ederson, Ariel Cabral (Jadson Silva), Jadson, Maurício (Welinton), David (Sassá) e Fred.
Técnico: Mano Menezes.
ATHLETICO: Santos; Jonathan, Pedro Henrique, Léo Pereira e Marcio Azevedo (Abner Vinícius); Bruno Guimarães, Bruno Nazário (Thonny Anderson) e Nikão; Marco Ruben (Marcelo Cirino), Rony
Técnico: Tiago Nunes
Veja como foi o jogo