quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Não deu:Atlético é derrotado pelo Corinthians na arena.


O JOGO:

A etapa inicial foi praticamente toda dominada pelos donos da casa, apostando em um jogo de posse de bola e muita inversão de lado a lado, buscando abrir a defesa corintiana. Sem conseguir repetir a intensidade da partida do final de semana, contra o Palmeiras, o Timão correu atrás da bola e teve poucas chances de ameaçar o gol do atleticano Weverton.
O primeiro lance de perigo, no entanto, veio aos 17 minutos, quando Romero foi lançado na área, limpou a marcação de Fabrício e tentou encobrir o arqueiro, que se esticou para fazer a defesa. Na sobra, Rodriguinho, sem ângulo, tentou chute forte, mas mandou na rede pelo lado de fora. O lampejo de bom futebol foi o bastante para que os anfitriões passassem a ser mais efetivos.
Dois minutos depois, Felipe Fedoz acertou lindo chute em cobrança de falta, ainda na intermediária, e carimbou a trave esquerda de Walter. O ritmo seguiu intenso para os rubro-negros, que não deixavam o Alvinegro ficar com a bola, até que o juiz marcou toque de mão de Fagner dentro da área. Pênalti assinalado prontamente, mas defendido por Walter com o pé esquerdo, em batida de Nikão.
O erro não fez com que os donos da casa diminuíssem o ritmo, sempre em cima dos corintianos. O último lance perigoso veio quando Lucas Fernandes arrancou a partir do campo de defesa e caiu após ser desarmado por Balbuena. O juiz marcou falta e ignorou um pisão de Pablo no atleticano, que poderia render punição ao zagueiro. Na cobrança, a bola bateu na barreira e ficou para Ribamar, mas o avante foi travado por Maycon.
O lance de maior reclamação dos visitanets veio logo na sequência. Após cobrança de escanteio, Romero ficou com a sobra na direita e levou uma tesoura por trás de Thiago Heleno. Os alvinegros reclamaram muito pedindo a punição com o cartão vermelho, mas o árbitro deu apenas o amarelo. Mesma punição dada a Maycon por uma falta no meio-campo, logo depois.

O segundo tempo não mostrou mudanças nas estratégias de cada equipe, com o Corinthians muito moroso para sair jogando e trabalhar a bola. Do outro lado, o Furacão continuou confiando nas viradas de bola para abrir a defesa e lançar a redonda na área corintiana, contando principalmente com o espaço dado pelos visitantes na marcação pelas laterais.
Faltou à equipe mais contundência na hora de finalizar, principalmente quando a bola chegava a Felipe Gedoz. Bastante participativo, o armador tentou diversas vezes uma bola em profundidade para os seus companheiros, mas não conseguiu. Nikão, pelo lado esquerdo, e Lucas Fernandes, pelo lado direito, também não conseguiram levar perigo com chutes a gol.
Longe de buscar o gol, o técnico Fábio Carille fez alterações para ficar um pouco mais com a bola, sacando Clayson e Maycon para colocar Giovanni Augusto e Paulo Roberto, respectivamente. Quando o jogo parecia morno, porém, o herói improvável apareceu. Giovanni Augusto recebeu pela esquerda, aos 32, cortou para o meio e cruzou forte, a bola passou pela zaga e venceu Weverton, indo para o fundo do gol.
Na busca para acalmar o jogo, Carille teve mais um susto ao ver Walter cobrar um tiro de meta para a lateral e pedir substituição imediata. O goleiro, que fazia sua estreia na temporada, deu lugar ao garoto Caíque França para os minutos finais da partida. Com Romero fazendo o papel de segurar a bola e o Atlético sem inspiração, a vitória veio para o Timão
Ficha Técnica:
ATLÉTICO-PR 0 x 1 CORINTHIANS
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 8 de novembro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa e Thiago Farinha (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Thiago Heleno e Fabrício (Atlético-PR); Maycon (Corinthians)
Gol:
CORINTHIANS: Giovanni Augusto, aos 32 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez e Lucho González; Felipe Gedoz (Douglas Coutinho), Nikão (Pablo) e Lucas Fernandes (Matheus Anjos); Ribamar
Técnico: Fabiano Soares
CORINTHIANS: Walter (Caíque França); Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Camacho, Maycon (Paulo Roberto), Romero, Rodriguinho e Clayson (Giovanni Augusto); Jô
Técnico: Fábio Carille
Veja como foi o jogo: