sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Vira virou:Madson marca duas vezes e furacão derrota o Fluminense de virada.


Foi de virada que o furacão deixou mais uma vez sua marca no Maracanã,após levar um gol logo no início da partida o rubro negro se impôs diante do time carioca e gols dois gols do lateral Madson virou a partida e saiu com mais três pontos na bagagem.Na próxima rodada o furacão volta a atuar em casa quando recebe o Palmeiras na arena.

O JOGO:

O Fluminense começou no ataque e logo aos dois minutos, Nenê bateu forte e a defesa desviou para escanteio. Após a cobrança, a defesa  paranaense se atrapalhou ao tentar rebater e Frazan empurrou para as redes. Foi o primeiro gol do zagueiro tricolor como profissional.



Depois de sofrer o gol, o Rubro-Negro tentou se organizar para buscar o empate, mas o Tricolor das Laranjeiras se mostrava bem postado em campo.
Aos 13 minutos, Rony recebeu na área, chutou forte e colocou nas redes de Muriel, mas o VAR acusou impedimento de Márcio Azevedo e o gol foi anulado.
A partida seguiu equilibrada, mas aos 24 minutos foi a vez de o Fluminense ter um gol anulado pelo VAR. Caio Henrique fez ótima jogada e bateu para defesa parcial de Santos que permitiu a entrada de João Pedro para empurrar para o gol. O árbitro de vídeo marcou impedimento do atacante tricolor e invalidou a jogada.
Aos 35 minutos, o Furacão desperdiçou uma chance incrível para empatar. Após saída de bola errada da defesa do Fluminense, a bola ficou com Léo Cittadini, que demorou demais a chutar e acabou bloqueado por Muriel. A bola ainda sobrou para Marcelo Cirino que bateu por cima do travessão.
Depois de tanto insistir, a equipe paranaense marcou o gol do empate aos 47 minutos. Wellington fez ótimo lançamento para Madson. O lateral-direito penetrou nas costas da zaga e tocou na saída de Muriel.
Já na segunda etapa, antes do primeiro minuto do segundo tempo, o Fluminense já criou uma chance para desempatar. Caio Henrique cruzou, Yony González ganhou do goleiro Santos na dividida e cabeceou por cima do travessão. A equipe dirigida por Marcão seguia mais agressiva e, aos sete minutos, João Pedro arrancou pela extrema e cruzou para tentar achar algum atacante, mas a zaga paranaense fez o corte.
Logo depois, o técnico Marcão decidiu modificar a equipe e colocou Orinho e Wellington Nem nas vagas de Nenê e Daniel. O lateral Caio Henrique passou a atuar como armador, ao lado de Ganso. Tiago Nunes respondeu Léo Cittadini por Bruno Nazário.
Com 24, Marcelo Cirino invadiu a área e conseguiu tirar de Muriel, mas Nino desviou para escanteio. Na cobrança, Madson aparece entre os zagueiros e desloca Muriel, cabeceando a bola para as redes e colocando o Furacão na frente.
Irritada com a virada, a torcida do Fluminense passou a vaiar o meia Ganso e o atacante João Pedro.
Sem outra alternativa, o Tricolor partiu para buscar o empate. Aos 30 minutos, após cruzamento de Gilberto, Wellington Nem cabeceou sem marcação e a bola tirou tinta do poste.
Nos minutos finais, o Fluminense partiu para o desespero, colocando bolas na área, mas a defesa do Ahtletico soube soube se defender e garantir o resultado.
FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 1 X 2 ATHLETICO-PR
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de outubro de 2019, quinta-feira
Hora: 21h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Thiaggo Americano Labes (SC)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Público: 16.109 presentes
Cartão Amarelo: Márcio Azevedo (Athletico-PR)
Gols: Gustavo Franzan, aos três minutos do primeiro tempo (Fluminense); Madson, aos 47 minutos do primeiro tempo e 25 minutos do segundo tempo (Athletico).

FLUMINENSE: Muriel, Gilberto, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel (Wellington Nem) Ganso; Nenê (Orinho), João Pedro (Lucão) e Yony González
Técnico: Marcão
ATHLETICO-PR: Santos, Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Rony(Lucho González), Thonny Anderson e Marcelo Cirino
Técnico: Tiago Nunes