Tudo igual:Em jogo aberto Atlético empata com o Coritiba.


E o atletiba foi eletrizante porém o resultado que os 27 mil atleticanos queriam não veio o furacão não saiu do empate em 2a2  com o coxa,após ficar duas vezes atras do palcar o furacão buscou o resultado com gols de Walter e Edigar Junio porém não conseguiu a virada e vitória.Na próxima rodada o furacão enfrenta a Ponte Preta em Campinas.

O JOGO:


O Coritiba protagoniza campanha bem pior, mas resolveu começar o clássico se impondo no campo do Atlético-PR. Ney Franco deixou Wellington Paulista, na teoria, sozinho na frente, mas o atacante saia da grande área e abria espaço para a movimentação de Esquerdinha e Marcos Aurélio. Como o time estava bem protegido com um trio de volantes marcando no meio-campo, o Coxa se impôs.
O Atlético-PR não conseguia levar a bola a Douglas Coutinho, Ytalo e Walter, seu trio ofensivo, isolando também Felipe, principal arma criativa, entre os volantes adversários. Ficou tranquilo para o rival se encontrar em campo e Esquerdinha só não abriu o placar aos oito minutos, porque o goleiro Weverton fez excelente defesa.
Quando o Furacão resolveu se adiantar, contou com azar para Wellington Paulista, à vontade no clássico, abrir o placar. Aos 18, Marcos Aurélio furou chute de fora da área bisonhamente, já que tentou finalizar com a direita e a bola bateu em seu tornozelo esquerdo. Mas o erro virou passe para Wellington driblar Kadu e tocar por cima de Weverton.
O Atlético resolveu ir à frente na marra e, na sua primeira chance real, teve sorte, como o rival, para balançar as redes. Aos 24, foi a vez de Ytalo não conseguir dominar nem finalizar, mas, sem querer, ajeitar para Walter encher o pé, empatando o clássico de assistências involuntárias.
A igualdade no placar gerou equilíbrio em campo, principalmente nos passes errados nas tentativas dos dois times em acelerar o jogo no ataque. Em meio aos vacilos, Esquerdinha cabeceou rente à trave, aos 28, e Douglas Coutinho aplicou voleio que parou no goleiro Bruno, já nos acréscimos.
Para a volta do intervalo, o Furacão resolveu tomar a rédea das partidas. Usou mais as pontas em seu 4-3-3 e forçou tanto que logo Ney Franco reforçou a marcação no meio-campo. Mas o Rubro-negro falhava quando tentava dar a assistência para virar o placar e, quando deu espaço para contra-atacar, viu o Coritiba sofrer com o mesmo problema.
Diante de tanto equilíbrio, Marcos Aurélio teve tranquilidade parar erguer a cabeça aos 31 minutos e lançar Ruy, que girou para bater forte, de primeira, recolocando o Coxa à frente no placar. Mas a calma exagerada prejudicou o Coritiba: aos 36, Walter desviou de cabeça e João Paulo se enrolou ao tentar dominar a bola, deixando-a para Edigar Junio finalizar na pequena área, empatando um clássico absolutamente igual.
Só Wellington Paulista quis destoar, dando um chutão para desrespeitar a arbitragem e sendo expulso, já aos 44. Quatro minutos depois, Norberto cometeu falta, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o Coxa com um a menos, mas quando o clássico já estava definido sem vencedor.
Ficha Técnica:
ATLÉTICO-PR 2 X 2 CORITIBA
Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR) 
Data: 21 de junho de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Público: 26.773 pagantes
Renda: R$ 964.125,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA) 
Assistentes: Sidmar dos Santos Meurer e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos do PR) 
Cartões amarelos: Weverton e Kadu (Atlético-PR); Ruy, Leandro Silva e João Paulo (Coritiba)
Cartões vermelhos: Wellington Paulista e Norberto (Coritiba)
Gols: 
ATLÉTICO-PR: Walter, aos 24 minutos do primeiro tempo; Edigar Junio, aos 36 minutos do segundo tempo
CORITIBA: Wellington Paulista, aos 18 minutos do primeiro tempo; Ruy, aos 31 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Gustavo, Kadu e Natanael; Otávio, Hernani e Felipe (Giovanni); Douglas Coutinho (Dellatorre), Walter e Ytalo (Edigar Junio)
Técnico: Milton Mendes
CORITIBA: Bruno; Norberto, Luccas Claro, Leandro Silva e Henrique; João Paulo, Cáceres (Hélder), Ruy (Lúcio Flávio), Esquerdinha (Rafhael Lucas) e Marcos Aurélio; Wellington Paulista
Técnico: Ney Franco
Veja como foi os gols da partida:



Nenhum comentário:

Postar um comentário