Sem emoção:Furacão joga mau e fica no zero com o Bahia.


No último jogo com portões fechados na arena o furacão ficou no zero a zero com o Bahia,com o resultado o furacão ficou na nona colocação no campeonato se distanciando do grupo dos 4 primeiros.Agora o furacão muda o foco pensa na copa do Brasil no meio da semana contra o América-RN.

O JOGO:


 Logo no primeiro lance da partida o Tricolor de Aço tentou mostrar suas armas para se livrar da zona de rebaixamento. Guilherme Santos fez o cruzamento e Emanuel desviou por cima da meta. Falsa impressão. O jogo era truncado, com muita marcação no meio-campo. Aos 10 minutos, Marcos Guilherme cobrou escanteio, Cléo subiu mais do que a defesa baiana e desviou por cima da meta.
Enquanto o Furacão tentava manter a posse de bola, o Bahia buscava sair em velocidade, mas tinha dificuldade Pela marcação e pela limitação técnica do time. Aos 15 minutos, confusão na área atleticana, Maxi tentou desviar deitando no chão e, na sobra, o árbitro marcou falta sobre Weverton. As equipes erravam muitos passes em uma partida tecnicamente muito ruim na Arena.
Aos 29 minutos, um momento que refletiu bem a partida. Todo o time do Tricolor recuado e o Rubro-Negro batendo contra um verdadeiro paredão de jogadores, sem alternativas para ultrapassar o ferrolho armado por Gilson Kleina. Aos 32 minutos, Kieza partiu em velocidade e chutou em cima da defesa atleticana. A primeira etapa terminou sem nenhum lance real de gol. Houvesse torcida, vaias seriam escutadas na Arena.
Para o segundo tempo, as equipes voltaram sem alterações. Aos três minutos, Sueliton cobrou lateral que foi anulado pela arbitragem por reversão, lance raro no futebol profissional. Aos sete minutos, Emanuel tentou o levantamento na área e ninguém acompanhou a jogada. O Panorama da partida não mudou após o intervalo.
Nem mesmo as jogadas de bola parada funcionava. Aos 11 minutos, Natanael cobrou falta na estrada da área e isolou. Em lance idêntico, três minutos depois, Emanuel cobrou falta e a bola teve o mesmo destino, a linha de fundo. Tentando mudar alguma coisa no jogo, o técnico Doriva colocou o atacante Douglas Coutinho no lugar do meia Bady. Aos 23 minutos, o primeiro chute a gol para valer da partida, com Diego Macedo, que parou nas mãos de Weverton.
O jogo ganhou um pouco em movimentação, mas os ataques não mostravam competência nas finalizações. Aos 24 minutos, Guilherme Santos invadiu a área e chutou cruzado, longe do gol. A melhor chance do Rubro-Negro apareceu aos 30 minutos, em cruzamento de Cléo, na cabeça de Douglas Coutinho. O atacante, sem goleiro, desviou por cima da meta. Aos 36 minutos, o lance mais incrível da partida. Bruno Mendes recebeu na entrada da pequena área, livre, e chutou em cima de Marcel Lomba. Não era noite de gols.
Na próxima rodada, o Atlético Paranaense enfrenta o Goiás, domingo, no Estádio Serra Durada, em Goiânia. Já o Bahia terá pela frente o Grêmio, no mesmo dia, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.
FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR 0 X 0 BAHIA-BA
Local: Arena da Baixada, em Curitiba-PR 
Data: 24 de agosto de 2014, domingo 
Horário: 18h30 (de Brasília) 
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE) 
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (Asp. Fifa-PE) e Elan Vieira de Souza - PE 
Cartões amarelos: Bady (Atlético-PR); Maxi (Bahia)
ATLÉTICO-PR : Weverton, Sueliton, Cleberson, Dráusio e Natanael; Deivid, João Paulo, Bady (Douglas Coutinho) e Marcos Guilherme (Otávio); Marcelo e Cléo (Bruno Mendes). 
Técnico: Celso Roth
BAHIA-BA : Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi, Guilherme Santos; Fahel, Rafael Miranda, Léo Gago (Diego Macedo) e Emanuel (Henrique); Maxi (Rafinha) e Kieza 
Técnico: Gilson Kleina

Nenhum comentário:

Postar um comentário