Tropeço em Minas:Furacão é derrotado,mas permanece no G4.


E chegou ao fim a invencibilidade do furacão no brasileirão,o rubro nefro foi derrotado para o Cruzeiro por 1a0,e perdeu a sequencia invicta que durou treze partidas,e foi a primeira derrota do furacão no brasileirão sobe o comando de Vagner Mancini.Após não fazer um bom inicio de jogo o furacão tomou o gol e mesmo melhorado na segunda etapa não conseguiu o empate,mesmo com a derrota o furacão se mantem no G4 e na próxima rodada pega o Flamengo no Rio de Janeiro.

O JOGO:

 O duelo entre Cruzeiro e furacão começou com equilíbrio de ações, com o Furacão um pouco mais cauteloso por jogar fora de casa, mas sem se limitar a retranca. Os paranaenses chegaram, inclusive, a marcar a saída de bola da Raposa, que demorou um pouco para encontrar o posicionamento ideal das peças de meio-campo.
O técnico Vagner Mancini orientou seus comandados para não descuidarem da marcação de Everton Ribeiro e Willian, atletas que tem se destacado nos últimos jogos da Raposa. Com isso, as disputas de bola de forma intensa marcaram o confronto no Mineirão. Bem compactado, o Furacão procurou dificultar ao máximo a vida dos celestes.
Sem espaços para trocar passes, o Cruzeiro resolveu arriscar arremate de fora da área com o lateral Mayke, que obrigou o goleiro Weverton a fazer boa defesa, mandando para escanteio. Aos 23, Everton Ribeiro conseguiu se livrar dos marcadores e finalizou cruzado, da entrada da área, mas errou o alvo, com a bola passando perto da trave direita dos visitantes.
Sem conseguir impor o ritmo de jogo, como habitualmente faz no Gigante da Pampulha, o Cruzeiro passou a apostar nas jogadas em velocidade, principalmente pelos lados do campo, mas o caminho cruzeirense também não estava fácil pelas laterais. Ofensivamente, os paranaenses finalizaram pouco na primeira etapa, mas os atacantes do Furacão deram algum trabalho para os zagueiros celestes, que foram mais eficientes.
Aos 35, a zaga rubro negra cometeu a primeira falha do jogo e foi fatal. Willian cobrou escanteio pela direita, o volante Nilton apareceu como elemento surpresa, por trás da zaga do Furacão, e livre mandou para as redes, enlouquecendo a torcida cruzeirense no Mineirão. Dois minutos depois, lance polêmico no jogo.
Ricardo Goulart recebe lançamento em condição nitidamente legal, marca o gol por cobertura, a auxiliar capixaba Katiuscia Berger Mendonça marcou impedimento, depois voltou atrás, o arbitro Raphael Claus confirma o anulamento do gol. A jogada aguçou a ira da torcida da Raposa, que protestou muito contra a decisão da arbitragem.
O Cruzeiro voltou com tudo para o segundo tempo, e quase ampliou em cabeçada do zagueiro Bruno Rodrigo, que obrigou Weverton a se esticar todo para fazer grande defesa e evitar o gol. Após alguns minutos de pressão da Raposa, os visitantes começaram a sair do campo de defesa, mas faltou criatividade no meio-campo para mudar o panorama do jogo.
As principais chances da equipe de Vagner Mancini foram criadas em chutes de fora da área. Na tentativa de explorar as laterais, o treinador do time paranaense trocou Deivid por Felipe, com a orientação de usar mais o lado direito, mas a marcação celeste bloqueou essa parte do campo.
Mesmo com todas as variações táticas promovidas pelo Furacão, o placar no Mineirão não foi alterado. O jogo na parte final mostrou um cenário de muita marcação e disputa de bola, com os goleiros participando pouco da partida. Artilheiro do Brasileiro, o atacante Ederson foi figura nula no duelo e acabou substituído por Roger, que produziu pouco.
Ficha Técnica:
CRUZEIRO 1 X 0 ATLÉTICO-PR
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG) 
Data: 14 de setembro de 2013 (sábado) 
Horário: 18h30 (de Brasília) 
Árbitro: Raphael Claus (SP) 
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Katiuscia Berger Mendonça (ES)
Cartões amarelos: (Cruzeiro) Everton Ribeiro (Atlético-PR) Deivid, Maranhão, Weverton
Gol: Cruzeiro: Nilton, aos 35 minutos do primeiro tempo
CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Nilton, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Alisson) e Ricardo Goulart; Willian (Lucca) e Borges (Júlio Baptista) 
Técnico: Marcelo Oliveira
ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Maranhão; Bruno Silva, João Paulo, Deivid (Felipe) e Everton; Marcelo (Dellatorre) e Ederson (Roger) 
Técnico: Vagner Mancini

Nenhum comentário:

Postar um comentário