FÁCIL,EXTREMAMENTE FÁCIL:sub 23 não toma conhecimento e atropela o coxa na Vila olímpica.


Foi moleza!a piazada rubro negra não tomou conhecimento da experiencia coxa branca e atropelou o Coritiba na tarde desse domingo na vila olímpica por 3a1 fora o baile da garotada.superior desde o inicio da partida o furacão se postou como gigante e não deu chances ao coxa que se perdeu durante toda a partida.Com a vitória de hoje o furacão fica a um empate da final do estadual basta um ponto na próxima partida contra o Operário em Ponta Grossa.

O JOGO:


 pela primeira vez na história, o confronto de quase 90 anos era disputado na Vila Olímpica do Boqueirão, estádio que pertencia ao Esporte Clube Pinheiros - antes da fusão com o Colorado Esporte Clube, que deu origem ao Paraná. Esquecido na zona sul de Curitiba, o local com capacidade para cerca de 15 mil pessoas estava sendo usado apenas para os treinamentos do Tricolor, mas, neste domingo, recebeu um Atletiba decisivo.
Apesar de o furacão ser o mandante do jogo, o Coritiba teve a primeira oportunidade de abrir o placar no Boqueirão. Patric avançou pela esquerda, cruzou rasteiro para a área, Robinho, quando recebeu a bola, já girou sobre a marcação e emendou para o gol. Santos se atrapalhou e deu rebote para dentro da área. O centroavante Deivid tentou completar para o gol, mas o goleiro se recuperou e barrou o jogador do Coxa.
O jogo passou a ficar bastante movimentado, animando o público que não parava de cantar nas arquibancadas. Empurrado por sua torcida, que era maioria no estádio, o furacão saiu na frente com Edigar Junio. Aos 24 minutos, Hernani deu um pelo passe para Héracles, que chegou à linha de fundo. O lateral mandou para a área, a bola passou pela zaga e sobrou para o centroavante. Com tranquilidade, Junio mandou para o fundo gol.
O Coritiba teve a chance de responder com o destaque da equipe. Aos 33 minutos da primeira etapa, o setor ofensivo do Coxa construiu uma boa jogada, que terminou em Deivid. O centroavante apenas desviou de cabeça para a área e o meia Alex, em boas condições de marcar, não conseguiu alcançar a bola para igualar o marcador. A desvantagem no placar, fez com que os visitantes buscassem mais o campo de ataque, mas o Furacão conseguiu chegar ao intervalo vencendo por 1 a 0.
Na saída para os vestiários, o meia Rafinha reclamou do gramado do Boqueirão, criticando a escolha do estádio para a disputa do clássico. O rubro-negro, no entanto, pouco pareceu se importar com as condições de jogo e ampliou no início do segundo tempo. Aos 11 minutos de jogo, Hernani comandou o contra-ataque do Furacão, rolou para Edigar Junio, dentro da área, que acertou o travessão. No rebote, Zezinho emendou de cabeça e fez o segundo do time rubro-negro.
Apesar da desvantagem ainda maior, o Coritiba não se abalou com o segundo gol e chegou a balançar as redes minutos depois, mas o assistente indicou o impedimento. Aos 15 da etapa complementar, o meia Alex cruzou na área, Escudero subiu sem marcação, em posição irregular, e mandou de cabeça para o fundo do gol. Depois da oportunidade, o Coxa não conseguiu manter o mesmo ritmo e não mostrou organização em campo para descontar.
Para liquidar a partida, o Furacão ainda contou com um presente da zaga do Coritiba. O argentino Escudero se atrapalhou com a bola e entregou nos pés de Crislan. O atacante partiu em velocidade para o gol adversário, invadiu a área e bateu de bico, no canto esquerdo de Vanderlei, para fazer o terceiro do Furacão.
Já no fim do jogo, o Coritiba conseguiu descontar na bola parada. 
FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO PARANAENSE 3 X 1 CORITIBA
Local: Estádio Érton Coelho de Queiroz, em Curitiba (PR) 
Data: 21 de abril de 2013, domingo 
Horário: 15h30 (de Brasília) 
Árbitro: Adriano Milczvski 
Assistentes: Luciano Roggenbaum e Luiz Henrique de S. S. Renesto 
Cartões Amarelos: Crislan, Zezinho (Atlético-PR), Willian, Leandro Almeida, José Rafael, Patric, Alex e Escudero (Coritiba) 
Público: 5.635 pagantes 
Renda: 
R$ 83.080 
Gols: 
ATLÉTICO-PR: Edigar Junio, aos 24 minutos do primeiro tempo, Zezinho, aos 11, e Crislan aos 30 minutos do segundo tempo 
CORITIBA: Alex, aos 46 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Santos; Léo, Rafael Zuchi, Bruno Costa e Héracles; Renan Foguinho, Hernani, Elivélton e Zezinho (Marcos Guilherme); Edigar Junio e Crislan 
Técnico: Arthur Bernardes
CORITIBA: Vanderlei; Victor Ferraz, Escudero, Leandro Almeida e Patric; Willian (Arthur), Gil (José Rafael), Robinho e Alex; Rafinha e Deivid 
Técnico: Marquinhos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário