Furacão empata,e se complica na copa do Brasil.


O furacão,não passou de um empate,contra o Palmeiras,nessa quarta feira,jogo de ida,das quarta de final,da copa do Brasil,com o empate em 2a2,o furacão precisa somente da vitória,no jogo da volta em São Paulo,para avançar a próxima fase.

                                                             O JOGO:
 Valendo vaga à próxima fase da Copa do Brasil, o Atlético e Palmeiras duelaram na noite desta quarta-feira (16) na Vila Capanema. A partida terminou empatada em 2 a 2, com gols marcados por Bruno Mineiro e Edigar Junio. Barcos e Maikon Leite assinalaram para o time visitante.

O primeiro tempo começou bastante movimentado entre as equipes. Sem contar com os vetados Bruno Costa, Héracles e Gabriel Marques, o Atlético chegou pela primeira vez com perigo aos 10 minutos, quando Guerrón recebeu na direita, mas acabou se desequilibrando na hora do arremate. Enquanto isso, João Vitor e Valdívia orquestravam as principais jogadas da equipe alviverde.

O primeiro gol atleticano surgiu aos 16, quando Ligüera cobrou falta da direita e levantou na área. Renan Foguinho tocou de cabeça e Bruno Mineiro completou para as redes, abrindo o placar na Vila Capanema. Dois minutos depois, Edigar Junio foi lançado na esquerda e tocou para Ligüera, que chutou e a bola tocou a mão do zagueiro do Palmeiras gerando polêmica, mas nada foi marcado.

O Palmeiras respondeu rápido. Aos 19, a equipe paulista partiu em contra-ataque e Rodolfo saiu do gol no "abafa" afastando o perigo. Dois minutos depois, o placar foi igualado com Hernán Barcos, que aproveitou vacilo de Renan Foguinho e empatou a partida. Mas os alviverdes mal tiveram tempo para comemorar. Aos 22, Guerrón recebeu lançamento de Alan Bahia e chutou cruzado. O goleiro Bruno espalmou e Edigar Junio empurrou para as redes, colocando o Atlético novamente na frente. 

O Palmeiras respondeu aos 29, em cobrança perigosa de Marcos Assunção, que exigiu grande defesa de Rodolfo. Aos 35, novo susto. Barcos recebeu na área, fez o giro e arrematou, mas Rodolfo segurou firme. No minuto seguinte, Ligüera foi lançado na frente, ficou na cara do gol, mas perdeu a bola. 

Antes do apito final da primeira etapa, Marcos Assunção cobrou falta no travessão e, após bate rebate na área, a zaga atleticana afastou o perigo.

Empate e ineficiência

Para a etapa final, Carrasco tirou Cleberson, que já tinha amarelo, e colocou Pablo. A partida recomeçou novamente equilibrada entre as equipes. Aos seis minutos, Barcos acertou o travessão. Em seguida, o meia Valdívia e o técnico atleticano se estranharam e o árbitro Paulo Bezerra expulsou Carrasco do banco de reservas. Enquanto isso, Felipão fez duas mudanças: Maikon Leite e Luan entraram nos lugares de Mazinho e Cicinho.

Nem bem entrou, o ex-jogador do Atlético empatou a partida. Aos 14, ele puxou pro meio e arrematou, sem chance de defesa para Rodolfo. Dois minutos depois, Guerrón chutou cruzado na direita e a bola passou perto da trave direita de Bruno.

Enquanto tentava se reencontrar na partida, Carrasco tirou Guerrón e colocou Ricardinho na partida. A equipe rubro-negra continuou ineficiente e recuada em campo, permitindo o toque de bola dos palmeirenses. A partida caiu de ritmo e permaneceu sem grandes chances até o apito final.

Atlético e Palmeiras fazem o jogo de volta na próxima quarta, às 19h30, na Arena Barueri. Antes, o Rubro-Negro faz sua estreia no Brasileirão, jogando no sábado (19) contra o Joinville, em Santa Catarina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário