domingo, 28 de abril de 2019

Athletico goleia o Vasco e vence a primeira no Brasileirão.


O furacão mais uma vez fez valer a força da baixada e na tarde desse domingo não tomou conhecimento do Vasco e goleou o time carioca por 4a1,com gols de Bruno Guimarães,Marco Ruben,Rony e Nikão o rubro negro não teve dificuldades para derrotar o adversário e assim conseguindo os três primeiros pontos na competição.Na próxima rodada o furacão vai até o Ceará enfrentar o Fortaleza no estádio Castelão.

O JOGO:

O Athletico começou imprimindo um ritmo forte e , logo aos dois minutos, marcou o primeiro gol. Após troca de passes na área, Tomás Andrade chutou, Alexander deu rebote no chute de Marco Ruben. O argentino falhou ao tentar chutar novamente, mas Bruno Guimarães chutou para colocar a  bola nas redes.
Depois de sofrer o golpe, o Vasco tentou se organizar, trocando passes para tentar se aproximar da área paranaense. Aos nove minutos, Yago Pikachu foi derrubado na intermediária. Danilo Barcelos bateu, mas mandou por cima do gol defendido por Santos.
Armado com três zagueiros, o time carioca passou a adiantar a marcação para atrapalhar a saída de bola do Furacão, enquanto a equipe paranaense tentava sair em velocidade para surpreender a defesa do time de São Januário. Aos 12 minutos, Nikão recebeu na entrada da área, buscou espaço para o chute, mas acabou bloqueado pela zaga cruz-maltina. Logo depois, foi a vez de Tomás Andrade arriscar e a bola passou perto da trave direita defendida por Alexander.
A equipe dirigida por Tiago Nunes seguia mais organizada em campo e dava pouco espaços para o adversário. O atacante Maxi Lopéz aparecia mais em bloqueios defensivos do que perto do gol defendido por Santos.
Aos 23 minutos, o goleiro Santos errou na saída de bola, mas o Vasco não conseguiu aproveitar.  Os dois times erravam muitos passes o que tornava a partida muito truncada.
Só aos 28 minutos é que o Vasco voltou a aparecer com perigo. O atacante Marrony recebeu no bico esquerdo da grande área e mandou a bomba, mas a bola não levou perigo para o gol defendido por Santos. Como a equipe encontrava muitas dificuldades na armação, o técnico Marcos Valadares adiantou o zagueiro Miranda para atuar como volante, deixando a zaga apenas com Werley e Ricardo.
Aos 32 minutos, Maxi López fez ótimo lançamento para Marrony na área, mas o goleiro Santos dividiu o lance e conseguiu evitar a conclusão do atacante.
Logo depois, o meia Camacho sentiu uma lesão e foi substituído pelo volante Wellington.
Nos minutos finais do primeiro tempo, o Vasco melhorou e passou a concentrar as ações mais perto da área paranaense. Aos 38 minutos, o zagueiro Ricardo se adiantou e chutou forte, mas a bola saiu.
O Furacão respondeum com uma investida de Jonathan que recebeu na área e chutou, mas Alexander fez ótima defesa, desviando para escanteio.
Aos 42 minutos, o Vasco quase chegou ao empate. Após cruzamento na área, Ricardo cabeceou e Santos fez grande defesa. A bola sobrou para Maxi López, mas a zaga paranaense conseguiu evitar a conclusão do argentino.
Um minuto depois, o Furacão ampliou. Renan Lodi aproveitou lançamento na área e cabeceou. Alexander tocou na bola que bateu na trave e sobrou para Marco Ruben que se aproveitou do vacilo da zaga vascaína para marcar seu sexto gol na temporada e o primeiro no Campeonato Brasileiro.
O segundo tempo começou com o Ahtletico pressionando e logo aos três minutos, o árbitro marcou pênalti de Yago Pikachu sobre Renan Lodi. Depois de consultar o árbitro de vídeo e ver as imagens, Luiz Flávio de Oliveira voltou atrás e anulou a marcação.
Mesmo assim, o time paranaense seguiu na pressão. Aos 11 minutos, após levantamento na área, Marco Ruben cabeceou e Alexander fez grande defesa. Logo depois, o mesmo Marco Ruben desperdiçou ótima chance ao cabecear por cima após ótimo passe de Nikão.
O técnico Marcos Valadares decidiu alterar o ataque do Vasco e trocou Yago Pikachu e Maxi López por  Yan Sasse e Ribamar.
Aos 18 minutos, Tomás Andrade cruza para Marco Ruben que ajeita para Nikão concluir fraco e facilitar a defesa de Alexander.
A pressão da equipe da casa prosseguiu e o Furacão acabou marcando o terceiro gol. A bola foi levantada na área, Roni cabeceou e a bola bateu no zagueiro Werley e deixou o goleiro Alexander sem ação.
O técnico cruz-maltino ainda trocou o zagueiro Miranda pelo meia Bruno César, em mais uma tentativa de aumentar a força do ataque que quase não dava trabalho aos zagueiros paranaenses.
Aos 31 minutos, o Ahtlético desperdiçou uma ótima chance para marcar o quarto gol, quando Tomás Andrade arrancou para a área e ,mesmo tendo três opções para fazer o passe, preferiu chutar, mas Alexander fez grande defesa, espalmando para escanteio.
Aos 33 minutos foi a vez de Marcelo Cirino receber livre na meia-lua e bater por cima do travessão.
O Vasco só voltou a aparecer na área do time da casa aos 40 minutos em arrancada de Ribamar que ganhou na zaga na corrida, mas bateu para fora, assustando o goleiro Santos.
Aos 40 minutos, Roni investiu pela esquerda e cruzou para a entrada de Nikão que apenas desviou do goleiro Alexander para marcar o quarto gol.
O Vasco ainda marcou o chamado gol de honra aos 43 minutos em chute bem colocado de Bruno César que não deu chances para o goleiro Santos.
Ficha Técnica:
ATHLETICO 4 X 1 VASCO
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 28 de abril de 2018 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Público: 12.839 pagantes
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Emerson de Carvalho (Fifa-SP) e Neuza Ines Back (Fifa-SC)
VAR: Wagner Reway (FIFA)
Cartão Amarelo: Raul (Vasco)
Gols:
AHTLETICO-PR: Bruno Guimarães, aos dois minutos e Marco Ruben , aos 43 minutos do primeiro tempo;  Werley, contra, aos 20 minutos do segundo tempo
VASCO: Bruno César, aos 43 minutos do segundo tempo

ATHLETICO-PR: Santos, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho (Wellington), Bruno Guimarães (Márcio Azevedo), Tomás Andrade, Nikão e Rony; Marco Ruben (Marcelo Cirino)
Técnico: Tiago Nunes

VASCO: Alexander, Werley, Ricardo e Miranda (Bruno César); Raul Cáceres; Raul, Lucas Mineiro, Yago Pikachu (Yan Sasse) e Danilo Barcelos; Maxi López (Ribamar) e Marrony
Técnico: Marcos Valadares
Visão de Jogo:Vitória tranquila.
Foi tranquila a estréia do furacão no brasileirão,imprimindo seu ritmo desde o inicio o rubro negro foi soberano e atropelou o Vasco,tecnicamente as duas equipes são incomparáveis e o rubro negro soube tirar proveito do fator casa e de sua superioridade técnica sendo eficiente nas horas que precisou.Um começo importante pois fazer o papel de casa é fundamental em uma competição longa igual a essa e é claro aumentar ainda mais a moral da equipe para a sequência como visitante que virá pela frente.
Pontos positivos?Mais uma atuação de destaque de Bruno Guimarães que outra vez foi seguro na marcação e ainda deixou seu gol,Marco Ruben que marcou seu primeiro no brasileirão e participou muito durante todo o jogo,além disso Tomás Andrade se movimentando muito no meio de campo deu ainda mais força ao time que em certos momentos até "tirou o pé" tamanha facilidade que foi para derrotar seu adversário.
Veja como foi o jogo:


sábado, 27 de abril de 2019

Athletico inicia sua caminhada no Brasileirão contra o Vasco na baixada.


E foi dada a largada no Brasileirão 2019 e nesse domingo é a vez do rubro começar sua caminhada em mais uma edição do campeonato,em meio a tantas competições o furacão tem a chance de inciar a competição com o que tem de melhor para ter um inicio de campeonato diferente de anos anteriores.Até onde podemos chegar?a força do elenco é grande e ainda poderá ter novidades que se destacar no titulo estadual que irão somar no elenco comandado por Tiago Nunes.

O time para a estreia:Com uma baixa e uma dúvida furacão está pronto.

O furacão terá praticamente foça máxima nesse domingo com a provável manutenção da base que enfrentou o Jorge Wilstermann no meio de semana,Thiago Heleno retorna naturalmente a equipe na vaga de Paulo André enquanto Lucho Gonzalez segue de fora por conta de uma lesão na panturrilha.Na formação o técnico Tiago Nunes ainda tem uma dúvida no setor de meio de campo Léo Cittadini que entrou como titular na quarta feira pode ir para o banco dando lugar a Tomás Andrade que entrou no segundo em Cochabamba no restante o furacão será o mesmo que entrou em campo no meio de semana com a seguinte formação:Santos;Jonathan,Thiago Heleno,Léo Pereira e Renan Lodi;Bruno Guimarães,Camacho,Léo Cittadini(Tomás Andrade) e Rony;Nikão e Marco Ruben.


O Vasco:Com dúvidas e problemas Vasco estreia no Brasileirão.

O Vasco inicia o Brasileirão cheio de problemas e dúvidas após o campeonato estadual e a eliminação da Copa do Brasil,os resultados negativos logo no inicio da temporada resultaram na demissão do técnico Alberto Valentim e desde então o time cruz maltino não acertou com nenhum treinador e assim será comandado nesse domingo pelo interino Marcos Valadares.Além disso o time carioca tem muitos problemas e dúvidas na formação do time como por exemplo Cacéres e Claudio Winck na lateral direita,Danilo Barcelos ou Henrique na esquerda e Raul ou Andrey no meio de campo,com isso uma provável formação do Vasco paar esse domingo é:Alexander;Cáceres(Claudio Winck),Wereley,Ricardo e Danilo Barcelos(Henrique);Raul,Andrey,Lucas Mineiro e Bruno Cesar;Yago Pikachu,Maxi López e Marrony.


Ficha Técnica:

ATHLETICO X VASCO DA GAMA.

Data:28 de Abril de 2019
Local:Arena da Baixada,Curitiba.
Horário:16 horas
Arbitragem:Luiz Flávio de Oliveira
VAR:Wagner Reway
AVAR1:Vinicius Gonçalves Dias
AVAR2:Clovis Amaral da Silva

ATHLETICO:Santos;Jonathan,Thiago Heleno,Léo Pereira e Renan Lodi;Bruno Guimarães,Camacho,Léo Cittadini(Tomás Andrade) e Rony;Nikão e Marco Ruben.Tec:Tiago Nunes

VASCO DA GAMA:Alexander;Cáceres(Claudio Winck),Wereley,Ricardo e Danilo Barcelos(Henrique);Raul,Andrey,Lucas Mineiro e Bruno Cesar;Yago Pikachu,Maxi López e Marrony.Tec:Marcos Valadares(interino)

Relembre o último duelo entre furacão e Vasco.



quinta-feira, 25 de abril de 2019

Athletico perde para o Jorge Wilstermann mas se classifica as oitavas


O JOGO:


A partida começou aberta, com as duas equipes criando boas oportunidades. Logo no primeiro minutos, em contra-ataque rápido, os bolivianos chegaram na área, com Serginho encontrando Alvarez livre. O chute, no entanto, saiu fraco, fácil para Santos. Na resposta, Nikão cobrou falta, aos três minutos, e Marco Rúben apareceu para testar firme para fora, com muito perigo. Aos poucos o Furacão, a seu estilo, ficava mais tempo coma bola nos pés, impondo seu ritmo.
O time da casa apostava nas jogadas individuais de Serginho, aos nove minutos, quando o brasileiro fez fila na defesa e cruzou para o meio da área, para ninguém aproveitar. Aos 19 minutos, Ortiz arriscou o chute de longe, e a bola passou por cima da meta. Mas, aos 22 minutos, após cobrança de escanteio, a bola foi desviada pela defesa e sobrou para Pedriel chutar e estufar a rede.
O Athletico tentava retomar o controle do jogo, mas tinha dificuldade no último passe. Aos 37 minutos, Paulo Andre apareceu na área para cabecear e obrigar Giménez a fazer grande defesa. Mas, aos 39 minutos, Renan Lodi arriscou o chute de longe e Balliván desviou de cabeça no meio do caminho contra o próprio patrimônio, deixando tudo igual.
Para a segunda etapa, as equipes retornaram sem modificações. Logo no primeiro minuto, Serginho foi para dentro da defesa athleticano e Jonathan se esticou na hora certa para evitar o arremate. Mas, aos quatro minutos, após cabeçada de Serginho, a bola bate na mão de Jonathan. O árbitro anotou a penalidade. Na cobrança, Ortiz marcou o segundo do Jorge Wilstermann.
Porém, aos 10 minutos, foi a vez de Renan Lodi ser derrubado na área e ter a penalidade marcado. Marco Rúben foi para a cobrança deixou tudo igual. O jogo ficou equilibrado e aberto. Aos 15 minutos, Nikão levantou para Lodi, que ao invés de arrematar, preferiu servir Marco Rúben, que não estava bem posicionado para completar. Aos 18 minutos, Montero tocou de cabeça na área e Santos segurou a bola que tinha destino certo.
Confusão na área athleticana, aos 24 minutos, Léo Pereira tentou afastar, a bola bateu no travessão, e o árbitro anotou falta sobre o goleiro Santos. Aos 34 minutos, Pedriel recebeu na área e testou colocado, para fora, assustando Santos. E, aos 42 minutos, mais uma bola na área rubro-negra, toque na mão de Paulo André e o terceiro pênalti marcado. Melgar foi par a cobrança e acertou o cantinho para garantir a vitória boliviana

Ficha Técnica:


JORGE WILSTERMANN 3 X 2 ATHLETICO PARANAENSE
Local: Estádio Félix Capriles, em Cochabamba (Bolívia)
Data24 de abril de 2019, quarta-feira
Horário19h15 (de Brasília)
ÁrbitroMario Diaz de Vivar (Paraguai)
AssistentesEduardo Cardozo (Paraguai) e Dario Gaona (Paraguai)
Cartões amarelos : Camacho, Nikão e Paulo André (Athletico)
Gols
JORGE WILSTERMANN: Pedriel, aos 22 minutos do primeiro tempo; Ortiz, aos 05 minutos e Melgar, aos 42 minutos do segundo tempo
ATHLETICOBallivián (contra), aos 39 minutos do primeiro tempo; Marco Rúben , aos 11 minutos do segundo tempo

ATHLETICOSantos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho (Braian Romero), Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Tomás Andrade); Nikão, Rony (Marcelo Cirino) e Marco Ruben.
Técnico: Tiago Nunes
JORGE WILSTERMANN: Arnaldo Giménez; Balliván,Montero, Reys e Aponte; Fernando Saucedo, Jorge Ortíz, Chávez (Carlos Melgar), Serginho e Pedriel (Meleán); Gilbert Alvarez (Miranda).
Técnico: Norberto Kekes (interino)
VISÃO DE JOGO:Faltou sorte
Dessa vez não foi falta de competência mas sim falta de sorte  que resultou na derrota do furacão na Bolívia diante o Wilstermann jogo onde o furacão foi dono das ações praticamente os noventa minutos,e acabou pagando o preço em três infelicidades atipicas do futebol.Mas se no futebol não existe justiça no jogo em si ela veio em outro jogo esse lá na Colômbia e sem participação do do furacão que de longe acompanhou e no fim comemorou a vaga às oitavas de final mesmo com o tropeço na Bolivia.
Ainda sobre o jogo vimos um Athletico intenso com grande atuação de Renan Lodi e Marco Ruben que além do seu gol de pênalti participou incisivamente da partida com muita movimentação e fazendo um ótimo papel de pivô para quem chegava por trás da defesa.Infelicidade total no primeiro gol do time da casa e nos dos pênaltis muito parecidos  cometidos por Paulo André e Jonathan que sentiram a altitude mas por sorte a justiça foi feita mais tarde na Colômbia.
Veja como foi o jogo:







terça-feira, 23 de abril de 2019

Athletico enfrenta o Jorge Wilstermann em Cochabamba para carimbar a classificação.


Após a conquista do bi campeonato estadual é hora de mudar totalmente o foco,pois nessa quarta feira o furacão inicia definitivamente sua longa caminhada em 2019 e jogando na altitude de Cochabamba no estádio Félix Caprilles o rubro negro tem confronto que pode carimbar sua passagem as oitavas de final da Libertadores,isso por que um simples empate contra o Jorge Wilstermann já garante  o furacão matematicamente na fase seguinte da competição.Além disso um tropeço do Tolima diante o Boca Juniors também classifica o rubro negro até em caso de tropeço na Bolívia.

A Formação:Com desfalques furacão está definido para a partida.

Não teve muitos segredos por parte do técnico Tiago Nunes,desde o embarque para o local da partida dessa quarta já se sabia que Lucho González Poupado e Thiago Heleno vetado por limitação fisiológica não viajaram para Bolívia e desfalcam o rubro negro.A tendência é que Paulo André atue na defesa ao lado de Léo Pereira,já no meio existe a dúvida entre Léo Cittadini e Tomás Andrade para completar o meio de campo rubro negro no restante,o furacão não deverá ter surpresas e deve ir a campo com a seguinte formação:Santos;Jonathan,Paulo André,Léo Pereira e Renan Lodi;Camacho,Bruno Guimarães e Léo Cittadini(Tomás Andrade);Nikão,Rony e Marco Ruben.


O Jorge Wilstermman:Sem treinador os "aviadores"apostam na força caseira.

Não é de hoje que a equipe Boliviana assusta seus adversários dentro de casa,não é atoa que o time está a invicto a dez partida pela Libertadores jogando no estádio Félix Caprilles e diante o furacão a aposta não será outra,precisando vencer para ainda manter chances de classificação o time da casa vem com treinador interino isso por que Miguel Angél Portugal foi demitido e o auxiliar Norberto Kekes comanda a equipe nessa quarta.Quanto ao time a única dúvida está no ataque entre Lucas Gaúcho e Gilberto Alvaréz no restante,o time da casa deve ir a campo com a seguinte formação:Arnaldo Gimenéz;Alejandro Meléan,Alex Silva,Zenteno e Aponte;Áriel Nuñez,Fernando Saucedo,Jorge Ortiz,Serginho e Pochi Chavez;Lucas Gaúcho(Gilberto Alvarez)


Ficha Técnica.

JORGE WILSTERMANN X ATHLETICO.

Competição:Copa Libertadores da América.
Data:24 de Abril de 2019
Horário:19:15 (horário de Brasília)
Local:Estádio Félix Caprilles,Cochabamba na Bolívia.
Arbitro:Mário Diz de Vivar(Paraguai)
Auxiliares:Eduardo Cardozo e Dario Gaona(Paraguai)

Jorge Wilstermann:Arnaldo Gimenéz;Alejandro Meléan,Alex Silva,Zenteno e Aponte;Áriel Nuñez,Fernando Saucedo,Jorge Ortiz,Serginho e Pochi Chavez;Lucas Gaúcho(Gilberto Alvarez).Téc:Norberto Kekes

Athletico:Santos;Jonathan,Paulo André,Léo Pereira e Renan Lodi;Camacho,Bruno Guimarães e Léo Cittadini(Tomás Andrade);Nikão,Rony e Marco Ruben.Téc:Tiago Nunes

Relembre o confronto na Arena da Baixada:

domingo, 21 de abril de 2019

ATHLETICO É BICAMPEÃO PARANAENSE!


O Athletico e bicampeão estadual com seu time de aspirantes é o sexto bi campeonato na história rubro negra mais uma vez a conquista estadual vem com a piazada dos aspirantes que nesse domingo derrotaram os Toledo por 1a0 no tempo normal e 6a5 nos pênaltis.A conquista consolida de vez o planejamento de base do rubro negro que a alguns anos vem adotando esse projeto de time alternativo na competição estadual e agora pelo segundo ano consecutivo resulta em titulo dentro de campo.

O JOGO:


Em desvantagem, o Furacão começou partida pressionando par anão perder tempo na busca pelo gol. Aos dois minutos, Bergson recebeu lançamento e girou para bater na rede, mas pelo lado de fora. Na resposta, aos cinco minutos, escanteio cobrando no primeiro pau e Pacato subiu para desviar para fora, com muito perigo. Porém, aos sete minutos, Matheus Rosseto cobrou falta, a bola desviou e foi para o fundo do gol.
O gol tirava a vantagem do Porco, mas o Rubro-Negro seguia com o domínio, querendo garantir o título no tempo normal, mas sem a mesma intensidade dos minutos iniciais. Aos 15 minutos, Vitinho chutou, a bola desviou a defesa e saiu em escanteio. Aos 22 minutos, Bergson conseguiu achar espaço em meio à barreira para chutar rasteiro e assustar o goleiro André Luiz.
Os ânimos estavam acirrados em campo e Bergson e Matheus Duarte se estranharam, aos 24 minutos. Em uma rara chegada do Toledo, aos 30 minutos, Khevin chutou e Léo conseguiu fazer boa intervenção. O ritmo do jogo caiu, com muita marcação e poucas oportunidades. Aos 41 minutos, Khellven desviou na área e acertou a trave.
Para a segunda etapa, as equipes retornaram sem novidades, mas logo nos primeiros minutos o técnico Rafael Guanaes tirou João Pedro, lesionado, para a entrada da Gabriel Poveda. Aos cinco minutos, Vitinho colocou na frente e chutou cruzado em cima da defesa. A resposta veio com Eduardinho, que recebeu na área e foi travado por Éder no momento do arremate. O Porco voltou com outra postura, equilibrando as ações nos minutos iniciais.
Rubro-Negro no ataque, aos 12 minutos, e Poveda desviou na área para André Luiz operar um verdadeiro milagre na Baixada. Aos 17 minutos, foi a vez de Erick receber pela direita e soltar o pé para mais uma defesa do goleiro do Toledo. Domínio de Bergson na área, mas o atacante nãoconsguiu a virada para finalizar.
O goleiro do Porco era o grande nome em campo. Aos 30 minutos, parou cabeçada certeira de Bergson para salvar mais uma. Aos 32 minutos, Lucas Halter aproveitou escanteio para testar e carimbar mais uma vez a trave. O Porco assustou aos 35 minutos, com Revson batendo de longe, tentando surpreender, para fora. O resultado levava a partida para as penalidades. Ainda assim, aos 49 minutos, Jaderson teve a chance de matar, mas o chute cruzado passou por todo mundo.
Revson abriu as cobranças para o Porco e fez. Bergson também converteu para o Athletico. Jonathan marcou o dele. Poveda marcou para os donos da casa. Léo Teles marcou. Lucas Halter anotou o terceiro do Furacão. Guilherme Rend não desperdiçou. Matheus Anjos também não. Pacatto marcou o quinto do Toledo. Marquinho converteu. Nas alternadas, Adriano parou em Léo. Khellven garantiu o título.
Ficha Técnica:
ATHLETICO 1 (6)X (5) 0 TOLEDO
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 21 de abril de 2019, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques
Assistentes: Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn.
Cartões amarelos: Bergson, Marquinho e Matheus Anjos (Athletico); Matheus Duarte, Khevin, Revson, Eduardinho e Everton (Toledo)
Gols
ATHLETICO : Matheus Rosseto, aos 07 minutos do primeiro tempo

ATHLETICO : Léo; Lucas Halter, José Ivaldo e Éder (Jaderson); Khellven, Erick, Rosseto )MAtheusn Anjos) e Marquinho; Vitinho, João Pedro (Poveda) e Bergson.
Técnico: Rafael Guanaes

TOLEDO : André Luiz; Everton, Eduardo Luiz, Fandinho e Matheus Duarte; Jonathan, Khevin (Adriano), Pacato e Revson; Eduardinho (Léo Teles) e Marcelinho (Guilherme Rend)
Técnico: Agenor Piccinin.
Visão de jogo:Titulo para consolidar um projeto.
Gostem ou não pelo segundo ano consecutivo o Athletico deixa seus rivais para trás no estadual com um time alternativo,2019 foi o ano que consolida de vez o projeto de base do furacão dentro do estadual projeto que muito foi contestado no incio devido o momento do clube sem obter conquistas.
Agora pelo segundo ano consecutivo o planejamento resulta em titulo dentro de campo e se esse ano o time não venha ter tantas revelações igual 2018 ao menos mostrou mais uma vez a superioridade do furacão sobe seus rivais e que mesmo com um time reserva consegue ser mais que os outros que fazem da competição estadual uma final de Copa do Mundo.PARABÉNS ATHLETICO BICAMPEÃO PARANAENSE!!!!
Veja como foi o jogo que deu o titulo ao furacão.





Fotos da festa rubro negra na Arena após o bicampeonato estadual 2019.


















sábado, 20 de abril de 2019

Vale a taça:Em desvantagem furacão recebe o Toledo valendo o titulo estadual.


Nesse domingo o furacão recebe o Toledo na Arena da Baixada pela partida de volta da final do Paranaense 2019,após a derrota na partida de ida o rubro negro precisa de uma vitória por dois gols ou mais para ficar com o bi campeonato estadual ou uma vitória simples para levar a decisão para os pênaltis.O furacão terá além de força máxima para o jogo terá também a força da sua torcida que fez filas em frente a arena durante a semana em busca de ingressos e promete lotar o caldeirão nesse domingo para empurrar o rubro negro em busca do bi campeonato estadual.

A Formação:Com reforços do time principal furacão está pronto.

Após o resultado negativo da partida de ida o furacão terá mais uma vez reforços da equipe principal,para esse domingo o zagueiro Paulo André e os meias Matheus Rossetto e João Pedro ficam a disposição do técnico Rafael Guanaes,no meio de campo Christián e Jaderson devem perder a posição de titular enquanto na zaga Éder deve dar lugar a Paulo André embora essa mudança não esteja confirmada,o experiente zagueiro deve iniciar como titular na decisão desse domingo dessa forma o rubro negro está definido com a seguinte formação:Léo;Lucas Halter,Zé Ivaldo,Éder(Paulo André);Khellven,Matheus Rossetto,Erick e Vitinho;João Pedro,Marquinho e Bergson.

O Toledo:Em vantagem Toledo vem pronto pra segurar o resultado.

Em vantagem precisando de apenas um empate para levantar a taça,o porco vem a Curitiba prometendo muita marcação para segurar o resultado na arena,o técnico Agenor Piccinin terá força total para o jogo e fará apenas uma mudança em relação ao jogo de ida em Toledo Marcelinho entra no ataque no lugar de Wainy que sofreu uma lesão na coxa dessa forma o Toledo deve ir a campo com:André Luiz;Everton,Eduardo Luiz,Fandinho e Matheus Duarte;Jonathan,Revson,Khevin e Júlio Pacato;Eduardinho e Marcelinho.




Ficha Técnica:

ATHLETICO X TOLEDO.

Competição:Campenato Paranaense 2019,final jogo-2
data:21 de Abril de 2019
Horário:16 horas
Local:Arena da Baixada,Curitiba.
Arbitragem:Rodolpho Toski Marques;auxiliares:Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn

ATHLETICO:Léo;Lucas Halter,Zé Ivaldo,Éder(Paulo André);Khellven,Matheus Rossetto,Erick e Vitinho;João Pedro,Marquinho e Bergson.Tec:Rafael Guanaes

TOLEDO:André Luiz;Everton,Eduardo Luiz,Fandinho e Matheus Duarte;Jonathan,Revson,Khevin e Júlio Pacato;Eduardinho e Marcelinho.Tec:Agenor Piccinin.

domingo, 14 de abril de 2019

Athletico leva gol no fim e perder a primeira partida da final.


O Athletico acabou sendo derrotado na partida de ida da final do Campeonato Paranaense,jogando em Toledo o furacão teve mais a posse de bola mas encontrou muitas dificuldades para furar a retranca do time da casa.E pra completar pagou caro no fim da partida por um ero defensivo onde acabou levando o gol e voltando para Curitiba com a derrota,no jogo de volta na arena o furacão precisa de uma vitória por dois gols para levantar a taça no tempo normal,ou apenas um para levar a decisão para os pênaltis.

O JOGO:

O jogo começou morno, com o Furacão garantindo a posse de bola, no seu estilo, mas sem buscar o ataque. A primeira chance, aliás, foi do Porco, aos cinco minutos, com Júlio pacato invadindo a área e batendo cruzado, pela linha de fundo. Aos oito minutos, sem opções, Robson Bambu avançou e soltou pé, para longe do gol.
O jogo tinha poucas emoções para uma decisão, sem ninguém se arriscar, apenas alguns chutes despretensiosos, de longe. Aos 14 minutos, falta na lateral da área, Marquinho cobrou, mas exagerou na força, desperdiçando a oportunidade. Aos 20 minutos, sobra de bola nos pés de Erick, que mandou a bomba para defesa de André Luiz. Bergson tentou encontrar alguém na área, aos 27 minutos, mas o cruzamento passou por todo mundo.
Mesmo jogando em casa, o Porco jogava fechado, sem errar, esperando, quem sabe, por uma bola. Aos 37 minutos, Wainy girou na área, mas não conseguiu espaço para o arremate, sendo travado pela defesa rubro-negra. Sem conseguir penetrar na defesa, Jaderson, aos 38 minutos, mandou mais um chute de longe, isolando a bola. Bergson, aos 45 minutos, tentou encobrir o goleiro, mas não conseguiu.
Para a etapa final, as equipes voltaram sem alterações. O Athletico tentava impor seu ritmo, com um pouco mais de velocidade, mas ainda com dificuldade de penetração. Aos sete minutos, Bergson recebeu na área, foi travado, ficou no chão, e o árbitro mandou o jogo seguir.
O Porco era só defesa e pouco conseguia ficar com a bola nos pés. Os treinadores começaram a mexer nos times tentando mais movimentação. Rafael Guanaes optou pelas entradas de Gabriel Poveda e Demethryus. Aos 23 minutos, Vitinho fez o corte na zaga e chutou para grande defesa de André Luiz, com o rosto.
Cobrança de falta para o Furacão, aos 32 minutos, e Bergson bateu mal, carimbando a barreira. A chuva veio forte no oeste do Estado e o ritmo caiu ainda mais em campo. Aos 37 minutos, Vitinho fez o cruzamento e Poveda apareceu para acertar um belo voleio, para fora. Na resposta, aos 40 minutos, Marcelinho chutou forte e Léo espalmou pela linha de fundo. Mas, aos 49 minutos, Fandinho aproveitou cruzamento para subir e desviar para o fundo das redes.
Ficha Técnica:
TOLEDO 1 X 0 ATHLETICO
Local: Estádio 14 de Dezembro, em Toledo (PR)
Data: 14 de abril de 2019, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Sígari Zanon
Assistentes: João Fábio Machado Brischiliari e Felipe Gustavo Schmidt
Cartões amarelos: Everton (Toledo); José Ivaldo, Erick, Marquinho (Athletico)
Gols
TOLEDO : Fandinho, aos 47 minutos do segundo tempo

TOLEDO : André Luiz; Everton, Eduardo Luiz, Fandinho e Matheus Duarte; Jonathan, Kevin (Léo Teles), Pacato e Revson; Eduardinho (Marcelinho) e Wainy (Guilherme Rend)
Técnico: Agenor Piccinin

ATHLETICO Léo; Lucas Halter, José Ivaldo e Robson Bambu; Khellven, Erick, Christian (Demethryus) e Marquinho (Matehus Anjos); Vitinho, Jáderson (Gabriel Poveda) e Bergson.
Técnico: Rafael Guanaes
Visão de jogo:Athletico esbarra na falta de criatividade.
A partida do furacão em Toledo foi muito abaixo do que se esperava,antes da partida já era previsto um adversário fechado jogando por uma bola e foi isso que aconteceu,e aconteceu também que o furacão não soube quebrar essa barreira e anda pagou por uma falha defensiva que custou a derrota.
Muito se falou das condições do campo devido o gramado alto,mas tenham certeza que não foi isso que originou a derrota,mas sim a falta de criatividade da equipe para furar o bloqueio do Toledo,e o baixo rendimento de jogadores chaves do time com Marquinho,Jaderson e Bergson que mais uma vez estiveram em tarde ruim.Agora o rubro negro terá a força da arena para reverter a vantagem do porco e chegar ao titulo porém precisa jogar como uma decisão coisa que não fez nesse domingo.
Veja como foi o jogo:

sábado, 13 de abril de 2019

Em busca do bi campeonato furacão enfrenta o Toledo pela final do Paranaense.


Nesse domingo o aspirantes do furacão vai a Toledo para começar a decidir o campeonato Paranaense de 2019,pelo segundo ano consecutivo o rubro negro chega a decisão com sua equipe alternativa e busca mais um bi campeonato na sua história.Contra o Toledo o furacão chega como favorito isso é inegável principalmente pelo que fez na taça Dirceu Krüger onde conquistou o tuno com sobras mas mesmo com a superioridade que também se encontra na questão técnica a seriedade e os pés no chão são o lema do técnico Rafael Guanaes para iniciar a decisão e deixar o titulo encaminhado para a partida de volta na arena.

A formação:Sem reforços da equipe principal rubro negro está pronto.

Ao contrário da partida diante o Coritiba o rubro negro não terá nomes da equipe principal,o zagueiro Paulo André por exemplo nem acompanhou a delegação para Toledo e Robson Bambu deve formar o trio de zagueiros com Éder e Lucas Halter.No restante o técnico rubro negro deve manter a base que enfrentou o coxa na última quarta feira e assim deve mandar a campo a seguinte formação:Léo;Lucas Halter,Robson Bambu e Éder;Khellven,Erick,Christian e Vitinho;Marquinho,Jáderson e Bergson.

O Toledo:Porco quer fazer história no estado.

Campeão do primeiro turno o Toledo não conseguiu repetir o sucesso no segundo turno,pelo contrário a equipe do interior não venceu nenhuma partida na fase da competição e acabou na última colocação,além de ter sofrido a maior goleada do campeonato para o próprio Athletico quando sofreu um placar de 8a2 jogando na Arena da Baixada.Para a partida desse domingo o técnico Agenor Piccin não terá Fandinho,Júlio e Adriano todos vetados pelo departamento médico e assim deve mandar a campo a seguinte formação:João;Jhonatan,Eduardo,João Neto e José Netto;Khevin,Pacato,Revson e Wayni;Eduardo e Tiago.


Ficha Técnica:

Toledo x Athletico.
Campeonato Paranaense 2019-Final-jogo 1
Local:Estádio 14 de Dezembro em Toledo.
Data:14 de Abril de 2019.
Horário:16 Horas
Árbitro:Leonardo Sigari Zanon
Auxiliares:João Fábio Machado Brischiliari e Felipe Gustavo Schmidt

Toledo:João;Jhonatan,Eduardo,João Neto e José Netto;Khevin,Pacato,Revson e Wayni;Eduardo e Tiago.Téc:Agenor Piccinin.

Athletico:Léo;Lucas Halter,Robson Bambu e Éder;Khellven,Erick,Christian e Vitinho;Marquinho,Jáderson e Bergson.Téc:Rafael Guanaes.

Relembre o último jogo entre furacão e Toledo.



quinta-feira, 11 de abril de 2019

Athletico derrota o coxa nos pênaltis e conquista a taça Dirceu Krüger.


Em um clássico truncado e eletrizante o furacão derrotou o Coritiba nos pênaltis após um empate em 1a1 no tempo normal,e conquistou o segundo turno do estadual,e assim garantiu vaga na grande decisão do campeonato contra o Toledo Marquinho foi o responsável pelo gol de empate que levou a decisão para os tiros da marca penal onde o rubro negro faturou o coxa por 7a6.A prmeira partida contra o Toledo acontece no próximo domingo no interior do estado e a volta na Arena da Baixada.

O JOGO:

O Alviverde começou a partida querendo surpreender, e logo na primeira descida Rodrigão arriscou o chute da entrada da área, por cima da meta. O jogo era equilibrado, com as equipes mostrando muita vontade e marcando forte. Aos nove minutos, Jaderson achou Marquinho no meio da defesa e lançou. O arremate, entretanto, parou em grande defesa de Muralha.
O Coxa tentou responder aos 15 minutos, com Juan Alano, que invadiu a área, mas demorou no momento de cruzar e entregou nas mãos de Léo. Aos 16 minutos, Bergson, de longe, chutou no cantinho e Muralha agarrou sem problemas. As ações, entretanto, estavam concentradas no meio-campo. Aos 24 minutos, Bergson tentou mais uma vez de longe para o goleiro coxa-branca agarrar com segurança.
Rodrigão tentava resolver sozinho pelo Coritiba e, aos 27 minutos, levou a defesa rubro-negra antes de arrematar e Léo defender. Aos 31 minutos, com precisão cirúrgica, Alan Costa se jogou na frente de Bergson para travar o chute. Os dois times exploravam o contra-ataque, mas não tomavam as melhores decisões no último passe. A primeira substituição do jogo foi do árbitro. Com uma lesão na coxa, Paulo Roberto Alves Jr. deu lugar a Nilo Neves de Souza.
Para o segundo tempo, o Athletico voltou com Léo Cittadini no lugar de Christian. O Coritiba começou pressionado e, no primeiro minuto, Rodrigão serviu Patrick Brey, que chegou desviando na rede, pelo lado de fora. A partida seguia com muita marcação dos dois lados e poucas finalizações. Aos nove minutos, Lucas Halter completou escanteio de cabeça, direto pela linha de fundo.
Em uma tentativa de cruzamento, Patrick Brey bateu na bola com veneno e a bola carimbou o travessão, aos 10 minutos. O Furacão adiantou a marcação e começou a pressionar mais o adversário. Aos 15 minutos, Jaderson abriu espaço e bateu cruzado para Muralha pegar. Na sequência foi a vez de Jaderson arriscar mais uma, para fora. Rodrigão desafogou um pouco aos 24 minutos, mandando um petardo para Léo agarrar.
Saído do banco, Welinton Junior, aos 28 minutos, invadiu a área e bateu forte, cruzado. A bola ainda bateu na trave antes de entrar e para abrir o placar. Rubro-Negro no ataque, aos 36 minutos, com Paulo André cruzando na pequena área e Romércio aparecendo para salvar. O clima esquentou na reta final do jogo.
Aos 38 minutos, Rodrigão aproveitou passe errado, ficou na cara do gol e tocou para grande intervenção de Léo. Aos 42 minutos, Alan Costa subiu com liberdade na área e testou para fora, com perigo. Mas, aos 43 minutos, bola cruzando a área e sobrou para Marquinho chutar rasteiro e deixar tudo igual.
A igualdade levou o jogo para as penalidades. O Furacão começou batendo, com João Pedro, que converteu. Patrick Brey fez para o Coxa. Léo Cittadini parou em Muralha. Elyeser isolou a bola. Bergson fez o segundo do Athletico. Welinton Junior deixou tudo igual, batendo no meio. Poveda marcou o dele. Rodrigão também não desperdiçou. Marquinho converteu a cobrança. Vitor Carvalho mostrou tranquilidade para marcar. As alternadas começaram com Paulo André, que mostrou todo sua experiência. Fabiano fez o quinto do Alviverde. Lucas Halter bateu e fez. Alan Costa afundou o pé e a rede. Khellven chutou forte para marcar. Romércio parou em Léo.
Ficha Técnica:
ATHLETICO 1 (7)X (6) 1 CORITIBA
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 10 de abril de 2019, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Jr. (Nilo Neves de Souza)
Assistentes: Pedro Martinelli Christino e Julio César de Souza
Cartões amarelos : Christian, Léo Cittadini, João Pedro e Marquinho (Athletico); Elyeser, João Vitor (Coritiba)
Gols
ATHLETICO Marquinho, aos 43 minutos do segundo tempo
CORITIBA: Welinton Júnior, aos 28 minutos de segundo tempo

ATHLETICO Léo; Lucas Halter, Paulo André e Éder (Poveda); Khellven, Erick, Christian (Léo Cittadini) e Marquinho; Marquinho, Vitinho, Jáderson (João Pedro) e Bergson.
Técnico: Rafael Guanaes

CORITIBA: Alex Muralha; Sávio, Alan Costa, Romércio e Fabiano; João Vitor, Vitor Carvalho, Patrick Brey e Juan Alano (Elyeser); Kady (Welinton Junior) e Rodrigão.
Técnico: Umberto Louzer
Visão de jogo:Conquista para coroar o segundo turno.
A conquista da taça Dirceu Krüger foi para coroar o trabalho feito pela equipe de aspirantes no segundo turno,após um inicio de campeonato ruim e preocupante o time se encontrou ao longo da competição foi superior durante o segundo turno o que também fez com que o acabasse tendo a melhor campanha no geral da competição se já bastasse isso a conquista veio em cima do maior rival que fazia do campeonato uma Copa do Mundo.
A partida em si foi complicada pois o time sentiu por muitas vezes o peso da partida,atletas como Christian,Khellven e Jaderson que vinahs se destacando não estiveram bem devido ao nervosismo do jogo por outro lado,e experiência de Marquinho e Paulo André somaram e muito para o andar do jogo até as cobranças e pênalti onde também brilhou a estrela do goleiro Léo que defendeu a cobrança do zagueiro Romercio e garantiu a vaga na final.Rubro negro chega com moral e favoritismo diante o Toledo e se nada de anormal ocorrer o furacão deve se sagrar bi campeão estadual com seu time de aspirantes e consolidando de vez esse planejamento.
Veja como foi o jogo: