Sem emoção e sem gols:Atlético fica no zero com a Chapecoense.


Em um jogo onde o furacão jogou parte da partida com um a menos,após expulsão de Marcos Guilherme,o rubro negro ficou no empate sem gols com a Chapecoense em Chapecó e conquistou mais um ponto na classificação.Na próxima rodada o furacão recebe o Avaí na arena da baixada.

O JOGO:

Com um jogador a menos desde o final do primeiro tempo, o Atlético Paranaense segurou um empate sem gols diante da Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó, em uma disputa pelas posições intermediárias da classificação do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Furacão chegou aos 43 pontos, nas 12ª colocação. Já a Chape, com 40 pontos, segue na 14ª posição, ainda ameaçado pela zona de rebaixamento, mas com alguma folga.
Em um momento psicológico melhor, os donos da casa pressionavam desde o apito inicial. Aos dois minutos, Camilo arriscou o chute cruzado, pela linha de fundo, com perigo. A resposta veio aos cinco minutos, em desviou de Cléo após cruzamento de Marcos Guilherme, mas em cima da zaga. Aos nove, Marcos Guilherme tentou o chute rasteiro, para fora.
A partida era equilibrada, com o Furacão chegando com perigo a cada descida, mas falhando nas finalizações. Aos 18 minutos, Marcos Guilherme tabelou com Sidcley, invadiu a área e chutou torto, desperdiçando a oportunidade. Sem conseguir entrar na defesa rubro-negra, Camilo tentou mais um arremate de longe, aos 26 minutos, e Weverton agarrou com segurança.
A Chape teve uma chance incrível, aos 32 minutos, em cabeçada de Túlio de Melo, firme, com destino certo, mas com Weverton no caminho para faze um milagre. Aos 38 minutos, Nikão cobrou falta, mas exagerou na força e a bola subiu demais. Sidcley partiu para a jogada individual pela esquerda, cruzou rasteiro, mas ninguém apareceu para completar. Antes do apito final dos primeiros 45 minutos, Marcos Guilherme recebeu cartão vermelho após chute em Thiego.
Para a etapa final, nenhuma mudança nas equipes. Logo no primeiro lance, cobrança de falta de Cléber Santana e a bola passou à direita da meta. Com um jogador a mais, a Chape tentava aproveitar a vantagem numérica. Preocupado com a defesa, o técnico Cristóvão Borges colocou o zagueiro Ricardo Silva no lugar de Nikão.
Mais chute de longe, aos 12 minutos, com Apodi, que pegou sobra de bola após escanteio e soltou o pé, para fora. O troco veio aos 15 minutos, em descida de Eduardo pela direita, com direito a chapéu e chute cruzado, pela linha de fundo. Polêmica aos 21 minutos, com Ananias invadindo a área e sendo travado por Ricardo Silva. Os catarinenses pediram pênalti e não foram atendidos.
Weverton voltou a aparecer bem aos 26 minutos, parando uma bomba de Gil e cedendo escanteio. A Chape tentava chegar a seu gol. Aos 33 minutos, Camilo cruzou fechado e quase enganou o goleiro atleticano. Aos 37, foi a vez de Thiego tentar por cobertura, de muito longe, por cima do gol. Já no desespero, Tiago Luis, aos 44 minutos, chutou de longe, fácil para Weverton. E ficou nisso.
Ficha Técnica:
CHAPECOENSE 0 X 0 ATLÉTICO-PR
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 1º de novembro de 2015, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (Fifa-SE) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos : Cléber Santana, Vilson e Túlio de Melo (Chapecoense); Kadu, Barrientos, Cléo e Ricardo Silva (Atlético-PR)
Cartão vermelho : Marcos Guilherme (Atlético-PR)
CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Vilson, Thiego e Dener; Bruno Silva (Gil), Camilo e Cleber Santana; Ananias (Tiago Luis), Maranhão (Hyoran) e Túlio de Melo
Técnico: Guto Ferreira
ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Christián Vilches, Kadu e Roberto; Otávio, Barrientos (Hernández) e Sidcley; Marcos Guilherme, Nikão (Ricardo Silva) e Cléo (Crysan)
Técnico: Cristóvão Borges